sábado, 7 de março de 2009

Que susto, você viu?











Dia 03/03/09 um asteróide passou bem "perto" da Terra. Descoberto dois dias antes por um astrônomo australiano quando ainda estava a 1 milhão e meio de quilômetros da Terra, o asteróide batizado de 2009 DD 45, uma rocha espacial que estima-se tenha entre 20 m e 50 m de diâmetro, passou a cerca de 70.000 km da Terra sobre o Oceano Pacífico.

Para você ter uma idéia de como 70.000 km é bem perto em termos astronômicos, a distância média entre a Terra e a Lua é próxima de 380.000 km. O asteróide ficou cinco vezes mais perto da Terra do que a Lua, como na ilustração abaixo em que os astros têm tamanhos propositalmente fora de escala! Quase riscou a lataria!

E, se caminhou cerca de 1500000 km entre dois dias (48h), sua velocidade média está próxima de 1.500.000 km / 48h, cerca de 30000 km/h, podendo a sua velocidade instantânea, ao passar mais perto da Terra e acelerado pela gravidade do planeta, ser até maior do que este valor! Já imaginou o tamanho da pancada que teríamos levado?

Uma colisão com a Terra teria sido catastrófica. No mar a queda provocaria uma onda gigante, uma Tsunami colossal e que chegaria à costa arrastando tudo o que estivesse pela frente, como na imagem abaixo que tenta ilustrar como seria um impacto desses em pleno oecano.

Em terra firme a colisão seria equivalente a uma explosão atômica de gigantescas proporções com ondas de choque e muita dissipação de energia na forma de calor. Poeira levantada no impacto poderia formar uma densa nuvem capaz de tapar o Sol e baixar drasticamente a temperatura. Depois do calor infernal da explosão viria um período de frio congelante que poderia perdurar por dias, até a nuvem de poeira se dissipar.

Em 30 de junho de 1908 um asteróide explodiu sobre a Sibéria, na região do rio Tunguska. Relatos dão conta de uma bola de fogo que rasgou o céu e depois explodiu. Nunca foi encontrado nenhum vestígio sólido deste asteróide e por isso acredita-se que, por sorte, ele tenha explodido antes da colisão, na alta atmosfera. Mesmo assim uma floresta inteira com cerca de 80 milhões de árvores distribuídas em pouco mais de 2000 km² foi devastada pela onda de choque da enorme explosão. Veja na foto abaixo as árvores deitadas umas sobre as outras, derrubadas durante o violento fenômeno. Estimativas dão conta que este asteróide de Tunguska que marcou a história da Astronomia e provocou uma explosão equivalente a 1000 bombas de Hiroshima seria mais ou menos do tamanho do 2009 DD 45 que, para a nossa sorte, quase tirou tinta do "paralamas" do nosso planeta, mas não colidiu.

4 comentários:

felipe disse...

que susto mesmo viu,imagine se o
asteróide tivesse se chocado com
a Terra...seria uma catástrofe...
graças a DEUS que não se chocou
Ufaaaaaaaaaaaa!!!!!



Silas Dias e Felipe Luenio

Cassia Gomes disse...

Por pouco que nossa Terra não foi atingida,sera que nós teriamos noção que isso iria acontecer?
Creio eu que não...Só resta a humanidade por a mão na conciencia e ver que isso pode esta acontecendo por causa de nós mesmos...

Cassia Gomes disse...

por pouco que a Terra não foi atingida pelo asteróidese,se tivesse se chocado com nosso planeta nós com certeza estaríamos mortos,ou seja,ocasionaria a extinção da humanidade,como aconteceo com os dinossauros.Na queda de um asteróide.

felipe disse...

por sorte q esse asteróide ñ se chocou com nossa Terra,pois se tivesse se chocado provavelmente ocasionaria a extinção humana.
Como aconteceu os dinossauros.